10 de Maio

18H00
Cara a cara com deputados*
Encontro

Encontro entre os cidadãos e deputados. Durante cinco minutos, os participantes inscritos conversam individualmente com os deputados, apresentando dúvidas, questões e contributos. 

Capacidade 20 pessoas mediante inscrição: festivalpolitica@gmail.com

Caso tenha incapacidade auditiva, indique na sua inscrição para assegurarmos tradução para Língua Gestual Portuguesa.

18H30
SESSÃO FRONTEIRAS
Cinema .:. m12

3 filmes

Haram-Forbidden / Áustria, 11’ de Mahir Yildi. A história real de um jovem que foi preso por fundamentalistas no seu país por estar a fumar. Depois de fugir para a Europa depara-se num abrigo para refugiados com o homem que o torturou na prisão. Venceu o Austrian Youth Peace Prize.

The Pianist of Yarmouk / Reino Unido, 13’ de Vikram Ahluwalia. A história real de Aeham Ahmad, um pianista de música clássica, que ficou internacionalmente
conhecido quando, em 2014, foi filmado a tocar piano num campo de refugiados. Teve de deixar a sua cidade natal, Yarmouk, onde tocava piano para as crianças em plena guerra. Onde está agora?

Are you Volleyball / Irão, 15’ de Mohammad Bakhshi. Um grupo de refugiados de um país árabe quer atravessar a fronteira para entrar num país de língua inglesa. Os conflitos com os soldados na fronteira são constantes. Até que um dia, repentinamente, tudo muda. Premiado em festivais nos Estados Unidos, Irão, Itália, Grécia e China.

21H30
Ouvir com outros Olhos: Refugees” de Nuno Meneses e Gabriela Almeida (Whale’s mouth)
Performance vídeo musical

“No final de 2017, foi-nos proposto pelo Festival Política editar um pequeno filme, que seria musicado ao vivo durante a edição de 2018. Nos últimos anos as pessoas ouviram ou leram muito sobre o tema em opiniões televisivas ou dissertações facebookianas. Muitos juízos se fizeram. Mas todos condicionados. Mais do que dissertar sobre o tema, queríamos mostrar e fazer pensar. Enviamos então um email para as Nações Unidas, que prontamente nos responderam. A partir daí tivemos acesso ao arquivo de imagens da Agência da ONU para Refugiados. Este filme documenta a vida desde a chegada a vários campos de refugiados até à integração das pessoas nos mesmos e nas sociedades envolventes (incluindo Portugal)”, descrevem Nuno Meneses e Gabriela Almeida

22H15
Isto Só Neste País com Hugo van der Ding*
Humor

Hugo van der Ding promete uma viagem sobre o que é ser europeu em vários países da Europa – com muito preconceito à mistura: o nosso, o dele e o dos outros. Hugo van der Ding vive em Lisboa e talvez tenha nascido em Amesterdão. É escritor, tradutor, humorista, cartoonista, animador na Antena 3, apresentador do Canal Q, colaborador da revista Sábado. É um fenómeno nas redes sociais, desdobrando-se entre A Criada Malcriada, Cavaca para Presidenta, BitchPlease, Verónica, a Mulher Divorciada, Celeste da Encarnação, Velha mas Moderna ou Dates from Hell.

23H15
SESSÃO LGBTI
Cinema .:. m16

3 filmes

I’m Sorry / Islândia, 16’ de Lovisa Lara. Toda a gente pensa que Addy tem uma relação perfeita com a sua namorada Salka. Mas quando Addy testemunha a ajuda de uma amiga a uma vítima de abuso no namoro é que percebe que tem de olhar para os termos da sua própria relação. Eleita melhor curta nos Independent Shorts Awards (EUA) e no Changing Face International Film Festival (Austrália).

Aurora / Portugal, 12’ de Carlota Flor. Aurora é uma jovem artista. Nasceu numa pequena vila do Norte, pertencente a Santa Maria da Feira. Desde cedo se apaixonou pela dança e pela moda. Hoje vive em Lisboa onde persegue o sonho de ter sucesso no mundo da arte performativa. Entre ensaios e espetáculos, luta por mostrar o seu trabalho e quebrar preconceitos com as suas criações. Uma viagem pela sua arte e pela luta que é ser uma artista em transição. Flávio é o seu nome de batismo e Aurora o nome que escolheu para o renascimento.

Queer Lives Matter – How LGBT-Activists Change The World / Alemanha, 30’ de Markus Kowalski. Esta é uma viagem conduzida pelo jornalista Markus Kowalski ao encontro de jovens ativistas à volta do mundo que lutam pelos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais em nome da igualdade e aceitação. Testemunhos recolhidos na Alemanha, Grécia, Turquia, Marrocos, África do Sul e Índia. Eleito Melhor Filme LGBT do Festival de Cinema Independente de Berlim 2019.

* Com tradução para Língua Gestual Portuguesa