Festival Politica

Festival Política estreia Beers&Politics em Portugal

O Festival Política vai estrear o formato Beers&Politics em Portugal. Lisboa, Braga, Loulé e Coimbra serão as primeiras cidades portuguesas a receber o modelo de debate que nasceu em Barcelona, em 2008, pelas mãos de Xavier Peytibi e Juan Víctor Izquierdo.

O propósito inicial era juntar bloggers que acompanhavam e que escreviam sobre comunicação política. Estes encontros começaram a ser organizados periodicamente, já com um convidado e um tema definido, sempre com a ideia de aprender coisas novas com as pessoas que mais sabem, mas também de criar relacionamentos através conversas – e cervejas – que surgem após a conversa. Até agora, eles foram realizados em 71 cidades da Europa e da América Latina.

Ao longo destes anos, a equipa do Beers&Politics já desenvolveu uma revista, monografias, uma editora, projetos de visibilidade feminina, um site com 1.750 discursos e listas de recomendações de mais de 1.500 itens: livros, filmes, séries, revistas, sites recomendados, mestrados em comunicação política, documentários, jogos, podcasts, associações de comunicação política, vídeos, consultores… e muito mais.

O primeiro Beers&Politics em Portugal e em língua portuguesa irá decorrer no dia 4 de abril, a partir das 17h30, no bar do Cinema São Jorge, no âmbito do Festival Política. Apareces? A primeira rodada pagamos nós.

Conversa “Beers & Politics” – “Portugal desistiu?”, com João Paulo Batalha
A alínea j) do Programa do Movimento das Forças Armadas, apresentado a 25 de Abril de 1974, prescrevia como medida imediata do novo regime “o combate eficaz contra a corrupção”. 50 anos depois, a corrupção é a grande ameaça à democracia. Portugal desistiu deste combate? Uma conversa descontraída que assinala a estreia do formato Beers & Politics em Portugal.

João Paulo Batalha é vice-presidente da associação Frente Cívica, dedicada à defesa de questões de interesse público, e consultor nas áreas da boa governança, transparência e políticas de combate à corrupção, além de colunista e conferencista, tratando temas ligados à integridade pública e à participação cívica. Em 2010, foi um dos fundadores da Transparência Internacional Portugal, membro português da rede global de ONG anticorrupção Transparency International, presente em mais de 100 países, tendo desempenhado as funções de diretor executivo e presidente da direção. É licenciado em História, com um minor em Sociologia Histórica e Política pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. 

Com interpretação para LGP mediante solicitação prévia através do email participa.politica@gmail.com.