Festival Politica

Programação Braga – 6 de maio

O Festival Política regressa, de 4 a 6 de maio, ao Centro de Juventude de Braga, tendo a Pós-democracia como tema central. São três dias de cinema, performances, música, humor, exposições, visitas guiadas e debates centrados na defesa do sistema democrático e na promoção da cidadania, intervenção cívica e direitos humanos. Aqui fica a programação para o dia 6 de maio.

A entrada é gratuita, mediante lotação das salas ou inscrições.
Atividades para maiores de 12 anos, salvo indicação em contrário.

Descarrega aqui o programa em formato PDF.

O programa inclui seis atividades em que é aconselhada a inscrição prévia. Mais informações aqui.
Para reserva de bilhetes para as atividades no Auditório, clica aqui.


10h30 – Visita guiada
“1973, Braga na pré-democracia”
Ponto de encontro: Estátua do Marechal Gomes da Costa (Praça Conde de Agrolongo).
Visita evocativa pela cidade de Braga no ano de 1973, em vésperas da revolução de 25 de abril de 1974, durante a qual percorreremos lugares representativos da intervenção do Estado Novo na cidade de Braga, nomeadamente o Estádio 1.o de Maio, a finalização do projeto da avenida da Liberdade, ou a abertura da Rodovia e o Hotel Turismo, mas também alguns espaços emblemáticos da oposição democrática. O percurso terá início junto da estátua do Marechal Gomes da Costa e no espaço urbano de onde partiu o movimento militar do 28 de maio, no qual decorriam também as grandes comemorações do regime. Visita conduzida por Rui Ferreira. Inscrições: participa.politica@gmail.com.  Com interpretação para LGP  mediante solicitação prévia

10h30
Oficina de Dança Criativa
1º andar – sala 4. Dançar, cruzando os territórios da dança contemporânea, do movimento e da improvisação livre. A guiar esta incursão pelo que transportamos de mais íntimo está Rubiélson Medeiros, professor de dança e coreógrafo. Aqui, o mote é descobrir como todos podemos dançar, abandonando o plié e a pirueta, com um conjunto de propostas arrojadas. Inscrições: participa.politica@gmail.com.  Com interpretação para LGP mediante solicitação prévia

16h 
Oficina de Cartazes
1º andar. Num mundo cada vez mais alienado e apegado à tecnologia, o movimento “The Revolution Will Not Happen On Your Screen” procura trazer para a rua as diferentes lutas pelos Direitos Humanos, apelando a uma participação cívica consciente e destruindo a fronteira entre o digital e o físico. Nas ruas, é com gritos de ordem e cartazes que comunicamos mudanças, que exigimos e reivindicamos direitos, que mobilizamos e sensibilizamos para problemas do sistema. Esta oficina de criação de cartazes explora e reflete sobre o que é a democracia e a pós-democracia. Estará a democracia em decadência? Serão possíveis novas revoluções democráticas? Como podemos proteger a democracia? Proposta vencedora do concurso para jovens artistas, ativistas e criadores, lançada em parceria com o Instituto Português do Desporto e Juventude.  Inscrições: participa.politica@gmail.com. Com interpretação para LGP mediante solicitação prévia

16h
Circuito artístico no Centro de Juventude
Vários espaços – Ponto de encontro: Receção
A Plataforma do Pandemónio desafia os participantes do Festival Política a conhecerem os resultados das oficinas que decorreram entre quinta e sábado – e não só. Haverá ainda showcases de Joana Carvalhas/The Tiny Musician e Luciana Sousa e um cadavre exquis com Irina Marques. Um percurso por vários espaços do Centro de Juventude, que cruza disciplinas, discursos e a vontade de inquietar consciências. Repete às 17h30. Com interpretação para LGP mediante solicitação prévia através do e-mail participa.politica@gmail.com. 

16h30 
“Absconded. Young Russians On The Run”, 53’ (Alemanha) — cinema
Auditório. Acompanha as duas primeiras semanas após o ataque da Rússia à Ucrânia. O protagonista principal, Egor Lesnoy, é um ativista ambiental, blogger e influenciador de Irkutsk, na Sibéria. O seu maior amor é o Lago Baikal, onde mergulha livremente sob o gelo no Inverno e retira o lixo do fundo do lago e das margens. Até 24 de fevereiro de 2022, estava cheio de esperança num futuro melhor. Nesse dia, a sua vida mudou completamente.

17h45
Circuito artístico no Centro de Juventude
Vários espaços – Ponto de encontro: Receção
A Plataforma do Pandemónio desafia os participantes do Festival Política a conhecerem os resultados das oficinas que decorreram entre quinta e sábado — e não só. Haverá ainda showcases de Joana Carvalhas/The Tiny Musician e Luciana Sousa e um cadavre exquis com Irina Marques. Um percurso por vários espaços do Centro de Juventude, que cruza disciplinas, discursos e a vontade de inquietar consciências. Repete às 17h30. Com interpretação para LGP mediante solicitação prévia através do e-mail participa.politica@gmail.com.

17h30 
Disque.pt — festa
Terraço. A maior produtora de festas LGBT+ e eventos para a comunidade Brasileira imigrante em Braga marca presença no Festival com um DJ Set de Lucas de Freitas e a performance DisquePOP da drag queen Mango Green. É para dançar. 

19h30 
“Encontro com Natália” — espetáculo
1º andar – Sala convívio . Em “Encontro com Natália”, o Coletivo de Artistas Teatrais Independentes envolve o público num clima de conversa e o convida a acompanhar seu itinerário de descobrimento das múltiplas facetas da escritora, poetisa e ativista portuguesa Natália Correia. Essa afetuosa celebração aos 100 anos de nascimento da artista, conhecida também por sua marcante atuação política, compõe-se de entrevistas, poemas, vídeos, excertos de obras e algumas notas biográficas. Com interpretação para LGP.
Guião e encenação: Vivaldo Franco; seleção de vídeos e banda sonora: Marcellus Machado; luz e som: Marcellus Machado e João Lisboa; registo fotográfico: @fg.arquicena; produção: CATI; elenco: Cláudio Paula, Elaine Vianna, Líria Varne, Manoel Candeias, Marcia Targino, Reynaldo Lisboa, Vivaldo Franco.

21h30 – Humor
“Prémios Monstros do Ano. Edição quase quase política”, com Fernando Alvim
Auditório. Os míticos prémios Monstros do Ano ocupam o Festival Política para uma noite de homenagem aos portugueses que têm uma palavra a dizer sobre o país e o mundo. Os protagonistas, as frases e situações mais marcantes numa sessão da inteira responsabilidade do apresentador, animador de rádio e agitador cultural Fernando Alvim. Um Portugal que não pára de nos surpreender. Com interpretação para LGP.


Exposições

“AI: A Nova Era do Conhecimento”, de Luís Francisco Borges
De que forma poderão os sistemas de inteligência artificial impactar o julgamento crítico das sociedades? São ou não são, estes sistemas, um atalho ou substituição àquilo que devem ser momentos de pesquisa e reflexão? De que forma podem estes sistemas moldar e/ou enviesar as opiniões das sociedades? Estas são algumas das questões a que a obra “AI: A Nova Era do Conhecimento” se propõe. Proposta vencedora do concurso para jovens artistas, ativistas e criadores, lançada em parceria com o Instituto Português do Desporto e Juventude. 

“Institucionalizado”, de Isabela Marques e Airton Cesar Monteiro
Curadoria: Kriativu
As instituições totais são lugares onde um número considerável de indivíduos na mesma condição leva uma vida conjunta, isolado da sociedade. No caso das prisões, esse isolamento tem a função de proteger a comunidade exterior desses indivíduos. A esse processo de aplicação opressiva de controlo social e às suas consequências chama-se institucionalização. O Paulinho e o Mequinhas, protagonistas desta exposição, foram institucionalizados durante 25 e 37 anos, respetivamente. De forma descontinuada, passaram décadas das suas vidas em diversas instituições prisionais desde a menoridade. Esse processo ter-se repetido múltiplas vezes diz-nos sobre a sua ineficiência. Ou melhor, sobre a sua limitação – assegura apenas a captura de corpos e temporariamente. A institucionalização esvazia, enumera e redistribui os indivíduos para a sociedade sem mudar as condições que os levaram à cárcere em primeiro lugar ou que os mantém como potenciais reincidentes. Quanto aos modelos desta exposição, é a precariedade aliada à sua condição de saúde: toxicodependência. Apesar da brutalização da passagem pela instituição total que é a prisão, lutam para se humanizarem.

“Revelação”
Curadoria: Coolabora
Todas as crianças e jovens têm sonhos. Mas às crianças e jovens ciganos não se lhes reconhece tão facilmente a capacidade de sonhar, de projetar um futuro. Esta exposição de fotografia pretende revelar esses sonhos escondidos pelo preconceito e pela falta de oportunidades. Uma iniciativa da CooLabora, cooperativa de intervenção social da Covilhã, que pretende catalisar diálogos e reflexões sobre os seus direitos, necessidades e recursos individuais e coletivos, sonhos, desejos, expressando assim os desafios e problemáticas que vivenciam nos seus quotidianos. São fotografias que revelam rostos, mas que dão, acima de tudo, voz a uma comunidade que pelo ciclo de exclusão onde se encontra encerrada, é conhecida apenas através da voz e do olhar de outros. E esses outros somos nós.

“Direitos Humanos pelo Olhar dos Jovens de Hoje”
Curadoria: Plataforma do Pandemónio
Resultado de uma Oficina de Artes Visuais (fotografia e ilustração) que a Plataforma do Pandemónio desenvolveu com um grupo dos 13 aos 18 anos no âmbito do projeto Humanizarte, promovido pela OIKOS e financiado pelo programa Partis.

Acessibilidades:

Todas as atividades têm interpretação para língua gestual portuguesa e todos os filmes estão legendados em português. As exposições de fotografia contam com descrição áudio realizada pelos autores/curadores, disponível no Centro de Juventude de Braga e brevemente no site do Festival Política. O Festival Política sensibiliza todos os artistas e participantes a introduzirem as suas apresentações com uma descrição física, do espaço e das suas ações.

Mediante marcação através do email acessibilidades.politica@gmail.com poderá ser organizada uma visita de reconhecimento prévio e aproximação tátil aos espaços de apresentação assim como um encontro com os artistas e participantes. Para garantirmos um melhor acolhimento no Centro de Juventude de Braga, pedimos a todas as pessoas com necessidades específicas que se inscrevam previamente. 

Conceito Festival Política: Associação Isonomia

Apoios: Câmara Municipal de Braga, InvestBraga, Centro de Juventude de Braga, Instituto Português do Desporto e Juventude

Produção: Produtores Associados

Parcerias de programação: Parlamento Europeu – Gabinete em Portugal, Plataforma do Pandemónio, Human Power Hub, Kriativu, CooLabora, MigraMediaActs, Coletivo de Artistas Teatrais Independentes, Disque.pt.

Media partners: RTP e Antena 1

Apoio à comunicação e divulgação: Rádio Universitária do Minho, FCB, Trix, MOP, dezanove, Esqrever, Federação Portuguesa das Associações de Surdos, ACAPO – Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal

Apoio à produção: Profitecla